educação • pesquisas

[MONOGRAFIA] ANÁLISE DOS FILMES-CARTAS PRODUZIDOS PELO PROJETO INVENTAR COM A DIFERENÇA: CINEMA E DIREITOS HUMANOS (Juliana Cristina Silva, 2015)

O presente trabalho é resultado da análise de produções audiovisuais que envolvem cinema e educação acerca do tema diferença. Especificamente os Filmes-cartas que integram o projeto Inventar com a Diferença: Cinema e Direitos Humanos (2014), desenvolvido pela Universidade Federal Fluminense e Secretaria de Direitos Humanos, em parceria com o Ministério da Cultura. O acervo assistido data de maio de 2015 e conta com cento e doze (112) produções. Dentre essas, metodologicamente buscamos trabalhar com os filmes-cartas que fogem da recorrência do gênero documentário tomado em seu sentido lato. Neste contexto, encontramos onze (11) produções que não se enquadram na recorrência. Destas selecionamos uma para análise teórico-conceitual, sob dois aspectos: o papel do Outro (alteridade) construído visualmente segundo ALMEIDA (2007) e o tema Direitos Humanos, levando em consideração documentos do Ministério da Educação (MEC). O Filme-carta analisado foi o E. E. Horácio de Matos – Filme-carta de Rio de Contas para Aracaju, que narra a história de Julieta, uma garota que sonha em ser reconhecida como uma grande jogadora de futebol. Julieta se compõe como dissenso à sociedade que impõe um padrão heteronormativo de como se comportar. O Projeto Inventar com a diferença nos oferece um material de produções audiovisuais grandioso. As diferentes histórias de vida ali contadas nos permitem adentrar em caminhos de possibilidades inesgotáveis de conhecimento pelo olhar dos jovens, que podem ser analisados de diferentes maneiras nesse enlace entre cinema, direitos humanos e educação. Fazer do filme uma experiência nos permite vislumbrar novas vias do inventar.

Palavras-chave:

cinema. educação. direitos humanos. inventar com a diferença. gênero.

Orientação:

Carlos Eduardo Albuquerque Miranda

CLIQUE AQUI PARA LER A MONOGRAFIA COMPLETA

Compartilhe: